Rádio FM Do Povo 94,9 Mhz
Publicidade
Jaru/RO
Min.
Máx.
Kawasaki Versys-X 300: primeiras impressões
14/06/2018

Com redução de preços, pequena aventureira acirra briga com a BMW G 310 GS. Versys se destaca pelo bom comportamento na estrada, mas deixa a desejar na cidade. Kawasaki Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Até pouco tempo atrás, existia um grande buraco no segmento das aventureiras. Você poderia optar por uma trail de baixa cilindrada, como a Honda XRE 300 ou uma Yamaha Ténéré 250, ou dar um salto gigante para chegar a uma Suzuki V-Strom 650, por exemplo. Com a chegada das chamadas pequenas aventureiras premium, agora esse espaço começa a ser preenchido. As principais representantes desse nicho são BMW G 310 GS e Kawasaki Versys-X 300. Lançada primeiro do que a GS, a Versys-X 300 acaba de passar por uma redução de preços, fazendo o modelo partir de R$ 19.990 (sem ABS) e R$ 22.990 (com ABS). A mudança de valor fez o modelo ficar mais competitivo que a G 310 GS, que custa R$ 24.990 – com ABS de série. Veja os novos preços da Versys-X 300: Versys-X 300: R$ 19.990 (valor antigo: R$ 22.990) Versys-X 300 ABS: R$ 22.990 (valor antigo: R$ 24.990) Versys-X 300 ABS Tourer: R$ 25.990 (valor antigo: R$ 26.990) Versys-X 300 tem visual que lembra motos de maior cilindrada Fábio Tito/G1 Ainda há a opção Tourer, que vem com malas laterais, protetor de carenagens e de mãos, e faróis de neblina em LED, tomada 12 volts e cavalete central, saindo por R$ 25.990. Mas será que a redução de preços é suficiente para tornar a Versys-X 300 mais vantajosa que a G 310 GS? Nessa briga também aparece a Honda CB 500 X que, apesar da maior cilindrada, também habita esta zona intermediária entre as grandes e pequenas aventureiras. Além disso, seu preço é bem competitivo: R$ 25.900 (com ABS de série). Concorrentes Versys-X 300 Arte/G1 Parece motona A Versys-X 300 segue características que já vimos em suas irmãs de maior cilindrada: a Versys 650 e a Versys 1000, porém, com uma pitada a mais de desempenho na terra, isso devido a rodas raiadas e a dianteira de 19 polegadas. O visual da moto também mostra inspiração nos modelos de maior cilindrada. Na verdade, ao olhar a Versys-X a impressão é de se tratar de uma moto de alta cilindrada, ainda mais na versão tourer que é cheia de acessórios. Kawasaki Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Apesar da cara de disposição para aventuras, a Versys-X parece estar com um figurino exagerado para um off-road mais pesado. O excesso de carenagens passa uma sensação de fragilidade, assim, o protetor da versão tourer é bem-vindo. As malas também são um acessório bacana, mas não são muito práticas. Elas não possuem sistema de engate rápido, então é sempre necessário de uma certa paciência para colocada e retirada das malas, caso o usuário queira. Kawasaki Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Melhor na estrada Se no começo as aventureiras tinham muita capacidade off-road, isso foi mudando com o passar do tempo. Agora a maioria delas é uma espécie de SUV de duas rodas, e a Versys-X 300 não foge dessa linha. Apesar de superar suas irmãs no quesito andar na terra, como já foi dito, ela sofre um pouco nesse terreno devido às suas suspensões, que não são tão longas para uma aventureira - 130 mm na dianteira e 148 mm na traseira. Mesmo assim, ainda se comporta bem melhor do que qualquer moto feita somente para o asfalto. Kawasaki Versys-X 300 tem porte de moto de maior cilindrada Fábio Tito/G1 Mas seu melhor território acaba sendo mesmo na estrada. Com uma ergonomia que deixa o piloto bem a vontade, sem forçar as pernas e nem os braços, é possível andar longas distâncias sem que o cansaço apareça. Além disso, seu motor bicilíndrico, que é o mesmo utilizado na Ninja 300 e Z300, tem um melhor funcionamento em altos giros, o que também favorece a rodagem em mais altas velocidades. Na cidade e na terra, onde é necessário um melhor torque em baixas rotações, a Versys exige que o piloto faça mais trocas de marcha e utilize bastante a embreagem. Versys-X 300 tem cara de aventureira, mas se dá melhor no asfalto Fábio Tito/G1 Apesar de o motor ter a mesma base do da Ninjinha, foi alterado e ganhou 1 cavalos de potência, rendendo 40 cavalos na Versys-X e 2,6 kgfm de torque máximo - 0,2 kgfm a menos que a Ninjinha. Na embreagem, está presente o sistema o sistema Assistido e Deslizante, que evita travamento da roda traseira em reduções bruscas de marcha. Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Conclusão A Versys-X 300 tem um bom conjunto para quem procura uma pequena aventureira premium. Acaba ficando em um meio termo entre a G 310 GS, mais off-road e urbana, e a CB 500X, que é um pouco maior e estradeira. A versão que fica mais atraente é a com freios ABS, item de segurança indispensável. Os acessórios da Tourer são interessantes e importantes, mas deixam um pouco a desejar no acabamento. Kawasaki Versys-X 300 em sua versão Tourer Fábio Tito/G1 Kawasaki Versys-X 300 com as maletas da versão tourer Fábio Tito/G1 Maleta da versão Tourer da Kawasaki Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Tomada de 12V da versão Tourer da Versys-X 300 Fábio Tito/G1 Cavalete central da Kawasaki Versys- X Tourer Fábio Tito/G1 Kawasaki Versys-X 300 Fábio Tito/G1
Fonte: G1
21:00 as 21:00
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
Av Dom Pedro l, 1045 - Jaru/RO
Ligue agora
(69) 3521-6634
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS